Encavalar é uma sub-divisão Go to microchips-tuning website!

244 440 370 | 21 921 9009

Velas Gasolina 101

A Encavalar sugere que troque as suas velas nos periodos recomendados pelo fabricante das mesmas.

A Encavalar recomenda velas Denso Iridium Power recomendadas para o seu veículo (ver tabela) ou um nível de temperatura mais frio para Stage2,3 ou Carros as GPL (Ex: se o recomendado for IK20, usar IK22 nestes casos).

Qual a importância das velas no motor?

Tratando-se de uma motor de combustão, as velas são de máxima importância pois é a sua faícas que serve de ignição à mistura ar/combustível. Para alcançar uma performance óptima é essencial que as velas sejam as adequadas para o seu veículo e que sejam subsituídas nos intervalos de manutenção correctas. Todos o sistema envolvente às velas também deve ser revisto com regularidade (bobines e cabelagens)

Qual a importância de Trocar as velas?

As velas de ignição, são os componentes responsáveis pela queima do combustível, quando este está dentro das câmaras de combustão. A sua faísca dá início à explosão que impulsiona os pistões, movimentando o motor continuamente. Mas as velas têm vida útil e devem ser inspecionadas pelo mecânico a cada 10.000 km na maioria dos veículos.

Inspecionar as velas periodicamente pode-nos dar muitas informações sobre o estado geral do motor pois dependendo do estado, as velas indicam defeitos que podem comprometer outros componentes e evitar que danos mais significativos aconteçam.
Após 10.ooo km , já é possível perceber diversos sintomas e problemas indicados pelo estado das velas. Vamos descrever os principais e mais comuns de se identificar após remover o jogo de velas. São eles:

Desgaste natural

Mesmo que o motor esteja em boas condições e que as velas estejam corretas para o tipo de motor, permanecer muito tempo sem substituir as velas irá causar o desgaste excessivo do eletrodo central (erosão). A distância entre os eletrodos fica muito grande e a alta voltagem fornecida pela(s) bobina(s) passa a ser insuficiente para causar a faísca, o que também encurta o tempo de vidas das bobines.

Sintomas:
– Solavancos do motor, principalmente ao acelerar para ultrapassagens ou em subidas.
– Motor demora para pegar.

Corrosão dos elétrodos

Esta situação geralmente é confundida com o derretimento dos elétrodos por superaquecimento. Ao contrário do que parece, este sintoma é causado pela presença de agentes e/ou aditivos corrosivos no combustível ou óleo lubrificante e é comum encontrar depósitos de resíduos que acabam influindo no fluxo de gases. Geralmente também é causado por combustível de má qualidade.
Sintomas:
– Solavancos do motor, principalmente ao acelerar para ultrapassagens ou em subidas.
– Motor demora para pegar.

Fuligem preta (carbonização seca)

A formação desta fuligem preta e seca, cobrindo os elétrodos e a cabeça da vela, pode ter diversas causas. As principais são: Filtro de ar sujo, combustível de má qualidade, carburador ou injeção desregulados (mistura ar-combustível muito rica), motor funciona em baixa rotação por muito tempo, regulação do ponto de ignição muito atrasado (faísca atrasada), uso de velas inadequadas (muito frias).
Sintomas:
– Dificuldade na partida do motor, principalmente quando ainda estiver frio.
– Motor falha quando em rotação de marcha lenta.

No casos de você ter abastecido com gasolina de má qualidade, fazer o veículocircular em primeira ou segunda mudança, com a rotação bem alta por alguns instantes pode eliminar as impurezas acumuladas na ponta da vela, se o carro já estiver abastecido com combustível de qualidade. Mesmo assim, é importante rever a afinação e os filtros. Trocar as velas por novas, também é uma boa ideia.

Sujidade preta e oleosa (carbonização oleosa)

Esta situação indica problemas graves no cabeça do motor e possivelmente um serviço de rectificação será necessário. Os eletrodos ficam cobertos por uma camada de óleo e carvão, o que indica excesso de óleo do motor a passar para a câmara de combustão por desgaste ou defeito nos segmentos de pistão e/ou guias de válvula.
Sintomas:
– Dificuldade no arranque do motor, principalmente quando ainda estiver frio.
– Motor falha quando em rotação de mudança lenta.

Outros Resíduos e Impurezas

Aditivos do óleo e/ou do combustível podem deixar resíduos “incombustíveis” (que não são queimados) na câmara de combustão. Estes resíduos pode ser visíveis nos pistões, válvulas, cabeça e na própria vela. Ocorre especialmente nos motores com consumo de óleo acima do normal ou abastecidos com combustível de má qualidade. Limpeza e uma boa afinação do motor podem resolver o problema.
Sintomas:
– Perda de potência do motor.
– Danos ao motor e cabeça.

Sobreaquecimento

São vários os motivos que podem causar o derretimento do eletrodo central, fundindo-o parcialmente. Os mais comuns são: uso de velas incorretas (muito quentes), resíduos (sujidade) na câmara de combustão, válvulas defeituosas, ponto de ignição desregulado (adiantado), mistura ar combustível muito pobre, distribuidor com defeito, combustível de má qualidade ou velas mal instaladas/apertadas.
Sintomas:
– Perda de potência do motor.
– Falhas na faísca de ignição.
– Danos no motor.

Elétrodo Central Fundido

O derretimento do eletrodo central pode se agravar por conta do sobreaquecimento da câmara de combustão, causando trincas e quebras no pé do isolador. As causas ainda são as mesmas mas os danos ao motor já podem ser maiores. Neste caso, será necessário rever o motor e os sistemas de ignição e alimentação.
Sintomas:
– Perda de potência do motor.
– Falhas na faísca de ignição.
– Danos no motor.

Elétrodos Central e Lateral Fundidos

Neste ponto, a combustão dá-se por incandescência, ou seja, não há mais faísca e a alta temperatura faz com que o combustível queime. O uso contínuo de velas e combustíveis inadequados podem fazer as velas chegarem a este estado.
Se o motor ainda não partiu neste ponto, você ainda deverá notar sintomas como:
– Perda de potência do motor.
– Falhas na faísca de ignição.
– Danos no motor.

Isolador trincado ou quebrado

Aditivos agressivos adicionados ao combustível podem causar corrosão do elétrodo central e, com o tempo acabam por trincar o isolador, assim como muita fuligem de combustão acumulada entre o isolador e o elétrodo central.
Também é muito comum que este dano seja causado pelo uso de ferramentas inadequadas na manutenção das velas, por exemplo, usar uma chave de fenda para afastar os eletrodos. Com o isolador quebrado a faísca salta do eletrodo central direto para a carcaça lateral da vela.

Sintomas:
– Dificuldade no arranque do motor.
– Falhas de ignição.

Sem comentários

Deixar comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Promoção
Loading..